Saiba como evitar fraudes em seu e-commerce

Tempo de leitura: 11 minutos


É inegável que o constante desenvolvimento tecnológico torna o mercado do e-commerce cada vez mais interessante para empreendedores, empresários e investidores. Fatores como menor custo de operação, possibilidade de gestão automatizada e rápida escalabilidade são alguns dos que mais seduzem aqueles que querem colocar uma loja no ar.

O problema, no entanto, é que fraudadores e cibercriminosos também enxergam no e-commerce diversas brechas de segurança e possibilidades de lucrar ilicitamente, deixando todo o prejuízo, invariavelmente, nas mãos do estabelecimento. E é justamente por isso que saber como evitar fraudes no e-commerce pode ser a diferença entre ter, ou não, um desenvolvimento sustentável do negócio.

Cenário da fraude no e-commerce brasileiro

Neste primeiro semestre de 2020, a chegada do novo coronavírus ao Brasil afetou o comportamento de consumo de toda a população. Tal cenário refletiu em um aumento muito significativo das vendas via e-commerce, o que impacta diretamente os números da fraude no setor: foram mais de R$ 765 milhões em fraudes evitadas entre 01/01 e 30/06.

O valor, apesar de ser 63,5% superior aos prejuízos evitados no e-commerce no mesmo período de 2019, é inferior ao aumento das vendas pelo canal no cenário de pandemia e restrição da circulação de pessoas nas ruas, mas não quer dizer que seja menos preocupante.

Em 2019, segundo Mapa da Fraude da ClearSale, o país deixou de perder R$ 1,9 bilhão com prejuízos causados por fraudes, em um crescimento de 36% em relação a 2018. O documento é um levantamento completo, realizado anualmente pela companhia, com a análise de janeiro a dezembro sobre as tentativas de fraudes no comércio eletrônico brasileiro.

Tipos mais comuns de fraudes no e-commerce

A fraude acontece por meio de inúmeros métodos e das mais variadas formas. É um crime dinâmico e que pode ter variações diárias. No entanto, alguns tipos de fraude podem ser considerados mais comuns.

Fraude limpa

Considerado o tipo mais simples e recorrente, a fraude limpa ocorre após clonagens de cartões, roubo ou vazamento de dados, etc. Ela é chamada de limpa pelo fato do fraudador ter dados corretos da vítima e do cartão. Com isso, o criminoso pode, por exemplo, comprar em lojas virtuais e receber o produto. A vítima, ao receber a fatura do cartão, contesta a compra, que é cancelada pela administradora e gera o prejuízo, chamado de chargeback, ao varejista.

Em muitos casos, fraudadores costumam testar os dados obtidos para saber se são válidos e se os sistemas de segurança podem identificar a ação criminosa. Recentemente, os criminosos passaram a fazer estes testes em sites de doações e outras ações beneficentes. Se o cartão passa normalmente, eles partem para compras fraudulentas no e-commerce.

Fraude amigável

É chamada de amigável porque, via de regra, não se trata de uma ação que tem má-fé envolvida. Neste caso, a pessoa que utilizou dados de cartão ou dados bancários verdadeiros é uma pessoa próxima do titular da conta, como um parente ou amigo, mas que não informou o mesmo no ato da compra.  Como exemplo, é possível citar uma criança que usa o cartão de crédito dos pais, sem o conhecimento deles, para comprar um game ou algo relacionado.

Autofraude

Dos tipos mais comuns de fraude, este é o que causa mais preocupação, por ser extremamente difícil de identificar sem a ajuda de uma parceiro especializado na gestão antifraude. A autofraude acontece quando o próprio titular da conta ou do cartão efetua uma compra ou transação e depois a contesta, como se não reconhecesse aquela dívida. A pessoa recebe o produto e mesmo assim contesta o lançamento do valor em sua fatura.

Quem corre mais riscos de sofrer fraudes no e-commerce

Ao se analisar as últimas edições do Mapa da Fraude no e-commerce brasileiro, produtos como smartphones, games e bebidas costumam ser os maiores alvos dos fraudadores, pois costumam ter alto ticket médio e fácil revenda em mercados paralelos. Além disso, regiões como Norte, Nordeste e Centro-Oeste costumam ter índices mais altos de fraude na comparação com as regiões Sul e Sudeste, por exemplo.
No entanto, isso não quer dizer que outros segmentos não têm riscos e muito menos que é melhor não vender dentro do cenário que traz mais riscos, pois fornecedores especializados em gestão antifraude são capazes de garantir a segurança e confiabilidade em cada transação, independentemente do valor, segmento ou região em que elas ocorrem.

Como evitar fraudes no e-commerce?

Fraude é um problema muito sério e há muito em jogo. Muitos varejistas online optam por fazer o trabalho antifraude e de gestão de riscos por conta própria, o que os faz cair em armadilhas perigosas, como a visão limitada e o desconhecimento de indicadores importantes. Por isso, algumas dicas podem ajudar bastante. Confira!

Busque um parceiro especializado

Contar com um parceiro especializado em prevenção a fraudes é garantir que a expertise seja aplicada em prol da segurança e da confiança entre varejo e consumidor, além de garantir equilíbrio entre taxa de aprovação, chargeback e índice de fraude.

Equilibre os indicadores corretos

Este equilíbrio é necessário porque, infelizmente, zerar a quantidade de prejuízos por fraudes é praticamente impossível, e isso não é, necessariamente, uma tragédia. Nenhum fornecedor de soluções antifraude pode garantir zero fraude, mas pode, sim, ajudar o varejo a lidar com o problema de maneira racional e analítica.
Lembre-se que, para zerar a fraude, seria preciso reprovar todos os pedidos, e isso significa não vender, o que não é uma opção. E é por isso que a taxa de aprovação de pedidos deve ser alta, enquanto o tempo de resposta deve ser pequeno e o índice de chargeback precisa estar controlado.

Não esconda informações de seu antifraude

Repassar todas as informações úteis ao seu parceiro de prevenção e combate a fraudes é fundamental. Um chargeback pode ser a prova de uma fraude, e todas as informações contidas nele são de fundamental importância para que um sistema antifraude possa se retroalimentar e impedir novos crimes com este mesmo padrão.

Analise padrões de ataque

Analisar padrões de ataque, aliás, também é primordial. As informações sobre fraudes que já aconteceram possibilitam que a solução antifraude consiga criar um efeito de rede que protege o ecossistema que envolve as transações.

Para que o trabalho contra fraudes seja eficiente, os sistemas utilizados devem ser capazes de conhecer o comportamento dos consumidores no universo digital como um todo, e não apenas na loja virtual onde a compra está acontecendo.

Oriente seus clientes

Além de tudo isso, orientar os consumidores sobre o uso de senhas fortes, sobre não clicar em links suspeitos, desconfiar de promoções muito acima da média e não compartilhar dados sensíveis são práticas altamente recomendáveis. Pense que quanto mais longe seus consumidores estiverem da fraude, menor será sua chance de ter este problema em seu negócio também.

Como a ClearSale pode ajudar

A ClearSale vai muito além do combate a fraudes, ajudando a criar e rastrear os indicadores que ajudam empresas no processo de expansão dos negócios. Nossa abordagem exclusiva para prevenção de fraudes significa que não apenas impedimos a ocorrência de fraudes – também aprovamos mais pedidos legítimos, o que ajuda a aumentar suas vendas.

Combinamos a avançada tecnologia das inteligências estatística e artificial com a maior equipe do mundo de analistas especializados em fraudes, para oferecer uma abordagem equilibrada e diferente de qualquer outra coisa disponível no mercado.

Desde a nossa fundação, em 2001, nos dedicamos a inovar constantemente para otimizar e aperfeiçoar nossos processos, com objetivo de reduzir fraudes e falsos-positivos ao mesmo tempo em que o varejista aumenta vendas, receita e satisfação do cliente.


Sobre a ClearSale: A ClearSale é autoridade em soluções antifraude e score de crédito, equilibrando tecnologia e inteligência humana para entregar excelentes indicadores e gerar confiança no mercado. Protegemos setores como e-commerce, mercado financeiro, vendas diretas, telecomunicações e seguros. Analisamos transações de mais de 150 países e conhecemos o comportamento de compra de consumidores no mundo todo.

Share

Felipe Tchilian é o jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale. Graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP, tem 12 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo na última década. Renovado após período de intercâmbio no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *