Tendências de consumo: insights que podem gerar preocupação ou oportunidades para seu e-commerce | Blog do Polen

Tendências de consumo: insights que podem gerar preocupação ou oportunidades para seu e-commerce

Tempo de leitura: 7 minutos.

Autor: Fernanda Mello

Neste post você vai encontrar:

1. Transparência em evidência
2. Micro-influenciadores impulsionando vendas
3. Posicionamento importa mais do que nunca


A sensação de mudança cada vez mais rápida no comportamento do consumidor tem deixado os varejistas de cabelo em pé! O post de hoje vai te fazer pensar (e agir) diante de três fortes tendências, que cedo ou tarde poderão preocupar e-commerces e lojas físicas que não percebem esta demanda. Porém, os varejistas que se anteciparem contam com uma grande oportunidade de se diferenciar no mercado. Quem é você nessa situação?

O consumidor brasileiro não tem vergonha de botar a boca no trombone e está ficando cada vez mais crítico e consciente de suas escolhas. A popularização da informação tem feito muita gente repensar seus hábitos de compra, principalmente quando se trata da geração nascida na era digital. As marcas que ainda não entenderam a maneira de pensar deste novo tipo de consumidor, estão correndo perigo (para não dizer atrasadas). Mas não se preocupe! Confira a seguir alguns insights que vão te  ajudar a repensar estratégias para seu e-commerce se adaptar a estas tendências e aproveitar as oportunidades existentes. 


Transparência em evidência

É inquestionável que nos últimos anos, os brasileiros têm passado por boas decepções. Além de ter que lidar com chuvas de fake news, existe uma crise de confiança na economia, política e ética, o que consequentemente acaba afetando empresas e marcas. Por isso caro varejista, a transparência tem sido cada vez mais valorizada e você pode usá-la para conquistar o coração dos seus clientes

Pense bem… depois de vários escândalos envolvendo redes sociais que violaram a privacidade de usuários, lojas que compram avaliações falsas para incentivar a aquisição de produtos ou serviços e uso de técnicas para incluir custos extras ao longo do processo de compra, como é que o comprador não fica frustrado e cheio de desconfiança?

Na prática, o dever de casa que você deve fazer é basicamente eliminar todas as letrinhas miúdas, ou seja, se existe uma taxa de serviço escondida que seu cliente vai ver lá no final da compra e tomar aquele susto, é melhor você deixar essa informação clara antes de o consumidor chegar ao carrinho. Por exemplo: Se sua marca se posiciona como vendedora de produtos orgânicos, deixe claro quem são seus fornecedores pois o consumidor que é engajado e defensor deste segmento, com certeza vai te stalkear muito para saber se aquilo que você entrega é realmente o que seu marketing está falando por aí. Pensando nisso, reavalie seu e-commerce, converse com pessoas de fora e avalie a experiência de compra em sua página periodicamente. Sempre haverá algo para melhorar ou esclarecer para estar mais alinhado com este novo comportamento do consumidor. 


Micro-influenciadores impulsionando vendas

Você sabia que 70% dos consumidores millennials preferem comprar produtos recomendados por blogueiros(as) que não são celebridades

É isso mesmo! Um estudo divulgado pelo Collective Bias envolvendo mais de 14 mil entrevistados nos Estados Unidos revelou esta estatística. E o que isso tem a ver com a sua loja que é brasileira? 

Vamos lá! Basta abrir o Instagram para ter claridade que em tempos de redes sociais, quase todo mundo quer ser formador de opinião / bonito na foto / cheio de boas intenções / popular / politicamente correto ou tudo isso ao mesmo tempo. Sendo assim, qualquer pessoa comum pode tornar-se um micro-influenciador. Ou seja, ninguém vai querer falar bem de um produto que não gostou para depois receber um comentário do amiguinho falando que “aquele produto que você indicou é horrível”.

Sabe aqueles influencers com mais de 1 milhão de seguidores? Pois é, na prática eles impactam várias pessoas, porém muitos sabem que é muito provável que este influenciador está recebendo uma boa grana para falar daquele produto, mas agora aquele cliente seu que tem 3 mil seguidores e que tem uma realidade muito mais próxima das pessoas que o acompanham podem ter muito mais influência do que você imagina!

Se um cliente assim teve uma experiência maravilhosa de compra, recebeu um produto que superou as expectativas e esta mesma pessoa compartilhar publicamente esta experiência, pode ter certeza que muitas pessoas vão pensar na sua loja quando precisarem de um produto similar, entretanto, se a experiência foi ruim, pode ser que evite comprar na sua loja por medo de viver uma situação similar. Aí você deve estar pensando: “ah, mas é impossível agradar todo mundo”. É certo, porém esteja preparado para este tipo de tendência e use-a como uma oportunidade, por exemplo, convidando seus clientes felizes a compartilhar uma experiência positiva em troca de algo relevante, que pode ser desde um desconto na próxima compra ou até mesmo um reconhecimento simbólico como mencionar este cliente no Instagram Stories de sua marca. 


Posicionamento importa mais do que nunca!

Antes de você pensar que posicionamento é coisa para grandes marcas, aqui vão algumas perguntinhas: 

– Ultimamente você notou que seus clientes estão ficando viciados em cupom de desconto?
– Você sofre com o número de pessoas que chegam no carrinho e abandonam a compra toda vez que você para de oferecer frete grátis?
– A galera que segue a página do Facebook do concorrente que vende produtos similares ao seu é super fã e defensora da marca concorrente, enquanto seus seguidores mal comentam suas publicações nas redes sociais?

Se você respondeu sim a pelo menos uma das perguntas acima, você precisa entender urgente o que está acontecendo!  Ter um posicionamento claro já não é um diferencial para uma empresa, mas sim uma necessidade para qualquer negócio que deseja continuar competitivo no mercado (principalmente digital). Se você está aí pensando… “Ah, que besteira é essa? Eu quero é vender”. Continue lendo até o final, já estou terminando.

Uma pesquisa recente divulgada pela Do Something Strategic mostra que 77% dos consumidores dizem que pelo menos algumas vezes compram produtos ou serviços de uma marca apenas porque eles acreditam nos valores / reputação da marca e querem apoiá-los. E aproximadamente 2 a cada 5 jovens fazem isso regularmente. 

É isso que está acontecendo! 

Se ainda resta alguma dúvida desse poder da sociedade, basta olhar para o exemplo do McDonald’s seguido de várias outras grandes redes, que tem diminuído a quantidade de canudos plásticos, alinhando-se ao movimento de redução de plásticos. 

Não tem nem idéia por onde começar a pensar sobre o posicionamento do seu e-commerce ou loja física? O primeiro passo é começar escutando o seu público, saber o que seus clientes compartilham redes sociais é um bom início. Leia os comentários na loja daquele concorrente que está vendendo mais que você, com o que estas pessoas se engajam? No que elas acreditam? 

Para te dar algumas ideias, deixo aqui algumas dicas para você pensar: 

– Que tal apoiar alguma causa social relacionada com o tema da sua marca e compartilhar isso com seus clientes?
– Repense seus fornecedores. Dá para melhorar a qualidade do seu produto e competir mais pela qualidade do que por preço?
– Como está o seu serviço de entrega? Como você gostaria de ser lembrado pelo seu cliente? O que você pode fazer de diferente para que ele te recomende para os amigos?
– Como é a sua política de trocas? Quais são as burocracias que você pode tirar do caminho? Quais aborrecimentos você pode evitar?

Agora é com você! Pense, repense e implemente as mudanças necessárias para se adaptar com este novo comportamento do consumidor. Se não aplicar essas dicas básicas, vai ficar para trás hein? Depois não diga que eu não avisei!

Fique por dentro da nossa newsletter! Receba semanalmente mais conteúdos como este. Basta deixar seu nome e e-mail aqui embaixo: